06/12/2011

Do inferno para a VIDA

Postado por Donna


Bispo, não era para eu estar vivo hoje…

Desde o meu nascimento passei a sofrer com vários problemas, e o primeiro deles foi quando meu pai me abandonou, sendo que eu ainda era um recém-nascido.

Cresci com muito ódio dentro de mim e para piorar ainda mais a situação familiar, minha mãe começou a se relacionar com outro homem, que sempre me batia violentamente. Sofri muitas agressões físicas. Não tem como contar tudo em detalhes aqui, mas um dia ele chegou ao ponto de amarrar as minhas mãos em um ferro quente, até queimá-las, como castigo.

Era muita dor e tormento diário. Lembro-me da primeira vez que esse homem me agrediu dentro de nossa própria casa. Minha mãe não ouviu nada. Não me recordo se naquele momento ela estava sob efeitos das drogas ou se estava sedada com os diversos tipos de comprimidos que ela tomava todos os dias. Eu era tão pequeno e já presenciava muitos problemas.

Eu não tinha nenhum prazer em ficar em casa e muito menos próximo da minha família. Cheguei ao ponto de começar a me cortar com lâminas e até escrevi em meu braço com uma faca 'I Hate U', que significa 'Eu Odeio Você'.

Meu mundo ficou obscuro quando me envolvi com jovens do lado oposto da vida, entrei em uma gangue e me envolvi com o mundo do crime. Roubava, agredia pessoas por diversão e praticava vários delitos. Eu não tive infância.

Passei a fumar maconha aos 9 anos. E aos 14 comecei a vender drogas como cocaína, heroína e ecstasy. Estava atrás de dinheiro fácil, mas todo o dinheiro era gasto com bebidas.

Fui também agredido várias vezes por gangues rivais. Certa vez, quebraram uma garrafa de vidro nas minhas costas.

Também já fui esfaqueado profundamente e entrei em coma por duas semanas. Outra vez, fui esfaqueado no pescoço e a faca não atingiu a artéria por dois centímetros. No total, fui esfaqueado em cinco ocasiões diferentes por gangues rivais.

A minha vida era um desastre atrás do outro. Mas eu não conhecia nada além daquilo. Tudo o que vi desde criança foi violência e pensava que aquilo era o que a vida tinha para oferecer. Eu estava tão cheio de raiva e ódio que não conseguia pensar no que fazer para sair daquela vida.

O meu amigo Ryan, que também estava envolvido em gangues, me convidou para participar de uma reunião do Grupo Jovem, o Victory Youth Group . Resisti ao convite. Mas de tanto ele insistir, e também por ver que a vida dele estava totalmente diferente e positiva, decidi ir.

O pastor estava falando sobre os perigos do mundo e mencionou sobre o Carnaval. Eu estava prestando atenção, mas não pensava que aquilo era para mim. Esse meu amigo me deu uma Bíblia pequena e eu coloquei no bolso da minha jaqueta.

No outro dia, eu fui ao Carnaval com os rapazes da minha gangue. Houve uma confusão com outro grupo de gângster e acabei sendo esfaqueado no peito. Eu vi a faca entrando em minha jaqueta, mas não senti nada, naquele momento, meu corpo ficou paralisado com o choque. Comecei a apalpar o peito e não tinha sangue algum.

Foi quando percebi que a Bíblia estava no bolso do peito da minha jaqueta, a mesma que usei quando fui ao Grupo Jovem da IURD, no dia anterior. A faca parou no Salmo 27, mas era para ter perfurado o meu coração.

Naquele dia, a Palavra de Deus, realmente, me salvou. Vi que a vida não era um jogo e que eu tinha que fazer algo para mudar.

No dia seguinte, eu fui para a Igreja e o bispo chamou a frente às pessoas que gostariam de apagar o passado e começar uma vida nova, por meio do batismo nas águas. Eu me arrependi de ter gasto tantos anos da minha vida com sujeira e me batizei. Três meses se passaram, e, desde então, eu não fui mais o mesmo.

Joguei tudo pro ar. Gangues, drogas, prostituição, etc. A cada reunião que eu participo no Grupo Jovem e também na IURD, tenho mais forças para prosseguir nessa vida nova. Estou aprendendo como ser um verdadeiro homem e também a desenvolver um relacionamento com Deus.

Não é nada fácil, bispo. Hoje eu entendo porque a minha família tinha tanta raiva no coração. Sei que muita coisa na vida é espiritual, e só é resolvido espiritualmente. Oro pela mudança deles.

Agora o meu desejo é fazer a Obra de Deus. Eu quero salvar almas. Hoje eu tenho uma alegria imensa, alegria que NUNCA experimentei quando vivia na marginalidade. Hoje eu posso sorrir de verdade. Eu não gostava de falar sobre o meu passado, mas agora não vejo problema algum nisso. Uso o meu passado para ajudar os que estão vivendo da mesma forma que eu vivi, para mostrar a eles que existe uma saída.

 Já consegui voltar aos meus estudos, estou usando todos os recursos possíveis para recuperar o tempo perdido, e sei que Deus tem muitas coisas reservadas para mim. Tenho apenas 16 anos de idade e um futuro brilhante pela frente. Hoje posso dizer que não estaria vivo se não fosse por Deus, pela IURD e pelo trabalho incansável do Grupo Jovem. 


Bem meus queridos, faço um convite a todos os jovens; todos os dias neste site às 17 até as 18 hs tem um programa todo especial para a juventude, onde aborda numerosos temas que nós jovens passamos : amor, sexualidade, família e etc.

Com carinho, Donna Yellow







Em 06/12/2011

0 comentários:

Postar um comentário

Hey everybody 🍍

Super agradecida pelo comentário que acabou de escrever, as perguntas,
desabafos, desamores ou o que for será respondido aqui no blog...
a menos que seja o Seu Silvio Santos, aí é vip rs

con amore, Donna

maybe yellow • todos os direitos reservados © 2016 • powered by Blogger • Desenvolvimento por