22/12/2011

Sexo com diabo: Imaginação, paranormalidade ou problema espiritual?

Postado por Donna


 Continuação cap. 11, 12 e 13

O meu pai levou a minha mãe a essa igreja que se chama Igreja Universal do Reino de Deus.

No dia em que meu pai levou a minha mãe, eu não conseguia nem me levantar da cama, e o anjo/demônio me dizia: “Tu não vais lá. Tu não vais à casa do Homem da Cruz!” Eu não entendia o que ele estava me dizendo; o certo é que eu não conseguia me levantar da cama, estava doente, fraca.

A minha mãe começou a frequentar essa igreja e eu comecei a ficar muito chateada com ela. Minha mãe começou a ficar melhor, até que um dia ela deixou de ouvir de vez o anjo; ela ficou livre dele. Ela disse: “Milagre!”

Em contrapartida, eu estava morrendo lentamente. Teimosa, não aceitava ir a essa igreja. O tal anjo me batia e me dizia sempre: “Tu não vais lá”.

Várias vezes eu dizia à minha mãe: “Eu, ir àquela igreja? Igreja de vigaristas?” Ela só me dizia: “Você vai, queira você ou não. Eu sei que você vai!”

Eu a via com fotos minhas e lhe dizia: “Mãe, a senhora anda me fazendo mal, levando minhas fotos para essa igreja dos brasileiros?” Eu tinha tanta raiva quando via minha mãe ir à Igreja. Só a acompanhava para irritá-la, e o safado do anjo me dizia: “Tu não entras, tu não vais lá!” Quando eu chegava na porta da igreja e minha mãe entrava, eu ficava do lado de fora, dizendo àqueles homens: “Ladrões, vigaristas brasileiros; eu nunca virei aqui!” Coitada da minha mãe, ela ficava bem envergonhada.

Isto durou aproximadamente dois a três anos. Minha querida mãe nunca desistiu.

Ela não sabia escrever, então, me pedia para escrever-lhe coisas que eu nem entendia para que, mas, coitadinha de minha mãe, ela não sabia escrever. E eu, toda perturbada, dizia: “Ok. Dê-me que eu escrevo.” E uma das coisas que ela me pediu, que jamais irei esquecer, foi o seguinte. Ela me disse: “Escreve como eu estou dizendo, Faty! Fátima servirá a Deus.” E repetiu ela: “Escreve; olha que Ele (Deus) está te vendo!” Eu, atormentada, pensava enquanto escrevia: “Eu nunca vou servir a este Deus dela! Deus! Deus!”

Eu, ignorante, não sabia que naquele momento minha mãe estava participando de uma campanha de fé. Mas a minha vida estava entrando em um abismo total e profundo.

Ao acordar, numa manhã de maio (estávamos no ano de 1996/1997), decidi que naquele dia iria pôr fim à minha vida, pois estava toda dolorida por ter sido mais uma vez violentada pelo anjo/demônio. Decidi que daquele dia eu não passava. Não disse nada a ninguém.

Escrevi uma carta aos meus pais e a deixei em minha casa. Fui deixar meu filho com os meus pais e disse-lhes: “Tenho que fazer algumas coisas.”

Dei folga à minha empregada. Comprei muita cocaína e comecei a caminhar para o abismo final. Eu ia morrer.

Comecei esta caminhada, uma decisão forçada pela possessão demoníaca de que era alvo, porque, a essa altura eu já conseguia saber que aquele anjo era muito mau.

No meu adeus à vida (na realidade da minha vida), fumei e cheirei aquela cocaína toda. Peguei o meu carro com um pouco de coca que ainda tinha e fui para o Pontão de Cacilhas, onde várias pessoas que conheci já haviam se jogado e morrido ali. E ele, o anjo, me dizia exatamente estas palavras: “Vai, acaba contigo. És uma verme; estais só e acabada. O que te resta? Vai, te joga, te joga, atira-te.” E eu, parada, olhava para o rio e dizia: “Quando acabar esta coca, me atiro. Assim que cheirar a última carreira, me atiro.”

Ao mesmo tempo, na minha cabeça, ouvi algo diferente que por vezes ouvia dentro da minha mente: “Descobrireis a verdade e ela te libertará.” Mas eu não entendia, não prestava atenção; eu queria acabar comigo.

No adeus de uma vida sem valor, sem rumo, deixaria para trás minha família, meu filho, toda a vergonha e especialmente esse anjo mau.

Tudo escureceu na minha mente.

Não consigo dizer, precisamente, o que me aconteceu. Só sei que quando voltei a mim, eu estava dentro dessa igreja. Eu me virei para um homem e lhe disse: “O que faço aqui? Eu não gosto de vocês!” O tal homem me respondeu: “Foi a senhora que veio até aqui.”

Comecei a chorar muito. Esperava que aquele homem que estava ali à minha frente me maltratasse, me julgasse, mas não, nada disso me aconteceu, ao contrário, ele me escutou e disse: “Existe uma saída para o seu sofrimento.” Eu lhe disse: “Então, vou fazer tudo o que o senhor me disser.”

Hoje eu sei que foram as orações da minha mãe que me levaram até ali, e que a misericórdia de Deus me trouxe até onde o Senhor estava. Não que eu mereça alguma coisa, mas este Deus é misericordioso. Deus havia me dado uma oportunidade.

A minha luta contra o tal anjo havia começado agora.


Considerações

O livro Sexo Com o Diabo retratou, ao longo de todos esses treze capítulos, todo o sofrimento de uma mulher durante boa parte de sua vida. Em meio a enganos, tristezas, drogas, violência e abundante amargura e aflição, uma luz surgiu para que a principal protagonista desta impressionante história real fosse resgatada de seu abismo, aparentemente sem fim.

Ao final desta saga em prol de uma paz verdadeira, você vai saber como Maria de Fátima alcançou a saída deste obscuro e oculto jogo de terror e morte.


Continuação cap. 14 final

Agora eu já sabia como lutar contra esse anjo/demônio. Se eu disser aqui que essa luta contra o tal anjo/demônio foi fácil, mentirei. Foi uma caminhada dura e agressiva. Eu decidi começar a frequentar essa igreja, a fazer correntes de oração (coisa que eu nunca tinha ouvido falar).
O tal anjo/demônio ficou enfurecido e ficou muito mau. Ele me atacava e me dizia: “Tu não vais.” Isso pode parecer muito estranho a você, mas o certo é que com as tais correntes de oração que eu fazias às sextas-feiras, ele, o anjo/demônio, começou a não conseguir mais tocar no meu corpo. Então, ele tentava me atingir com palavras destruidoras. Foi uma luta dura.
Mas, por ouvir a Palavra de Deus, aprendendo e mudando as minhas atitudes, me afastando de tudo que era contra a Palavra de Deus, descobri que eu era possuída por um demônio, e que ele estava dentro de mim (isso me foi esclarecido por um bispo da Igreja).
Aprendi que usando o Nome do Senhor Jesus, crendo, mas crendo sem duvidar (tendo fé), o bicho já não conseguiria mais me tocar. Então, mudei mesmo o rumo da minha vida através da fé no Senhor Misericordioso Jesus.
Experimentei a Força e o Poder do Nome do Senhor Jesus Cristo. Nas minhas correntes de oração, os pastores faziam orações fortes que faziam o tal anjo manifestar e ser expulso. Esses homens eram usados por Deus para me ajudar.
Eu manifestava muito forte e agressivamente; não me lembrava de nada. Quando voltava a mim, via os pastores com camisas rasgadas, cadeiras viradas; eu ficava muito cansada. No princípio, até pensava que eles me hipnotizavam, mas não, era ele, o anjo, que se recusava a me deixar. Mas o meu filho, muitas vezes, me dizia: “Mãe, tu parecias um monstro!”
Houve uma mudança. Comecei a mudar e isso foi notado por várias pessoas, e uma delas foi um amigo meu de muitos anos. Ele decidiu vir à Igreja também, e nesse dia eu manifestei. O meu amigo ficou muito indignado, e quando estávamos voltando para casa, ele me perguntou: “Oh, Fátima, me diz a verdade; nós nos conhecemos há muitos anos, aquilo era encenação ou real?” Eu só lhe respondi: “Epa! É real.”
A partir desse dia, esse meu amigo também começou a frequentar a Igreja e manifestou também com uma força do mal. Hoje, liberto, ele serve a Deus.
Foi e sempre será uma luta constante contra as forças do mal. Depois de eu estar 2 anos na presença de Deus, a minha mãe faleceu, mas quando me lembro do que eu escrevia para ela a Deus, vejo que Ele é fiel. A minha mãe teve a alegria de me ver na presença do Senhor.
Devo ao Senhor Jesus Cristo a misericórdia e a oportunidade de ter sua Sua Palavra revelada a mim; e à minha querida mãe, por nunca ter desistido de mim.
Hoje, sou liberta de tudo. Cocaína jamais. Depressão jamais. Molestada, violentada, jamais. O demônio, já não o vejo mais, já não o ouço, mas sei que ele existe e quer me destruir. E a tal frase que eu ouvia na minha mente se fez verdadeira na minha vida: “Descobrireis a verdade, e a verdade vos libertará.”
Essa é a verdade: que forças do mal existem e que estão num espaço oculto e o objetivo deles é nos destruir. A Terra, as casas, a matéria, não são alvo deles, mas sim, nós, os seres humanos, criaturas de Deus.
Acreditem se quiserem, compreendam se puderem.
Não sou louca. Nunca fui louca.
Eu, Fátima, hoje com 49 anos, sei que demônios e satanás existem e farão tudo o que puderem para me destruir, a mim e a você, que pensa que eles não existem, porque eles vivem no oculto.
Quando decidi mesmo escrever a minha história real e verdadeira de vida, não é e nunca será minha intenção de mostrar ou evidenciar que sou melhor ou pior do que alguém, mas tinha que falar ao mundo da minha experiência de vida com as forças malignas de satanás.
Eu já estava havia 10 anos na Igreja, mas não tinha coragem de contar ao mundo este lado e como o Senhor Jesus me libertou de todo o mal. A glória e a honra ao Senhor Jesus eu dou. Só a Ele, só ao Senhor Jesus e a mais ninguém, juntamente com o Seu Espírito Santo, que também é uma força oculta.
Eu, Fátima Carvalho, testifico que Deus existe e satanás também. Tenho a maior prova de que existe um Deus que liberta e salva.
A coragem de falar ao mundo veio quando a minha neta de 3 anos disse-me um dia: “ Vovó, tem um monstro que costuma estar no meu quarto.”
Aí, algo me tocou o coração e eu disse ao meu filho: “É ele, o safado, o demônio.” Então, disse dentro de mim: “Safado, vou te desmascarar, seu nojento!” Agora eu já sabia como lutar contra esse demônio.
Tinha uma vergonha que machucava. Então, decidi falar com Deus. Para quem não acredita, nós podemos falar com Deus. Ele também é um Espírito. Se eu falava com um demônio, imagina agora! Eu falava e falo com Deus.
Eu Lhe disse: “Deus, leva-me à Tua terra.” Então, aconteceu que a Igreja fez uma excursão a Israel. A oportunidade havia chegado. Fui à Israel em missão.
Disse mais a Deus quando estava em Israel. Saí pela madrugada em Nazaré, e disse-Lhe: “Senhor, há muitos anos o Senhor caminhou, quem sabe, por essas ruas. Por favor, dá-me coragem e tira de mim essa vergonha, para eu poder falar ao mundo de tudo o que eu passei nas mãos de satanás, e eu, Fátima, Te glorificarei todos os dias da minha vida; servir-Te-ei, meu Senhor.” E assim aconteceu.
Em junho de 2006 (engraçado, que foi no dia do meu aniversário), a Igreja perguntou-me se eu queria dar o meu testemunho. Ninguém sabia desta parte. Ouviam como Deus havia me libertado das drogas e das outras coisas, mas do safado do anjo eu sempre tinha vergonha de falar. Mas, nesse dia, eu gritei ao mundo o que o tal demônio havia me feito e como foi banido da minha vida, através do Senhor Jesus Cristo.
Deus me deu a coragem que Lhe pedi. E agradeço ao bispo Macedo e à Igreja Universal do Reino de Deus por terem acreditado na história real e verdadeira da minha vida. O diabo trabalha com sugestões e dúvidas em nossas mentes. Deus trabalha com a fé e a certeza.
Desde o dia em que eu o desmascarei, não pense que ele ficou parado. Mas, eu agora sei como lutar contra ele (eu não tenho poder ou força alguma), mas sim O que vive dentro de mim. Satanás é um mentiroso, ele prega a maior mentira à humanidade: Faz crer que ele próprio não existe.
Hoje, sou uma mulher feliz, com paz interior, liberta de todo o mal. Não existe, para mim, dinheiro que possa pagar o que Deus, pela Sua misericórdia, me deu.
Todos nós temos Problemas, mas sei como enfrentá-los, porque agora conheço o Anjo bom. Frustração, depressão, medo, não fazem mais parte da minha nova vida.
Eu não era a única pessoa da minha família que era perseguida por esse mal. Mas, através da nossa fé em Cristo Jesus aprendemos a enfrentar e combater as forças malignas.
Lutarei, lutarei, lutarei.
Forças satânicas existem, acredite você ou não. Eu fui alvo disso. Mas foi me dada a oportunidade de conhecer uma Força Superior que se chama Jesus Cristo.
Lutarei, lutarei sempre, pois prefiro morrer lutando a dar a vitória a um demônio!
Considerações
Eu, Fátima C. Carvalho, nasci em 9 de junho de 1960, em uma ilha chamada São Tomé e Príncipe, uma ex-colônia portuguesa.
Em 13 de maio de 1962 cheguei a Portugal em um navio chamado Guanza. Cheguei a Lisboa, capital de Portugal, e nunca mais voltei àquela ilha. Um dia gostaria de voltar lá, pois é muito bonita.
Com a minha mãe aprendi o dialeto da ilha de São Tomé e também entendo o dialeto de Príncipe.
Depois de ter chegado a Portugal, fui morar na margem sul do Tejo (chamada de Cruz de Pau), e nessa localidade cresci.
A decisão de ter escrito este livro é para que pessoas que sofrem do mesmo problema que eu sofri possam saber o caminho a seguir.
Foi a minha neta Melanie, com apenas 3 anos de idade, que me alertou para a armadilha que o tal anjo/demônio estava tramando contra a minha família. Na inocência dela, me disse: “Vovó, um monstro costuma entrar no meu quarto, me fazendo medo.”
Ela me alertou. Era ele (o anjo/demônio). Eu pedi a Deus coragem porque eu tinha vergonha de contar ao mundo.
Deus me deu coragem e tirou essa vergonha.

Bem pessoal, como de costume posto os capítulos às sextas-feiras mas por um motivo que me deixou revoltada decidi postar o final da história VERIDICA.
 Me desculpe se serei grossa agora, mas estou CANSADA de alguns crentes, cheios de doutrinas, cheios do saber e nada sabem da fé, que não lêem toda a história, e por isso não sabem que isto é algo real e não uma história de ficção que favore aos espiritos demoniacos, leia toda a história antes de vir reclamar algo, e se voce não achou interesse de uma olhada na sua vida, pode ser que esteja pior do que a mulher do testemunho, e por favor não venha bancar um de santinho, estou cansada de pessoas hipocritas, que dizem ter fé, crer em DEUS, mas na hora de dar cara pra bater se escondem atras da religiosidade. Eu estou fazendo minha parte, abrindo os olhos das pessoas que estão com as vendas do inferno, e o que voce está fazendo? Dando glória a DEUS com a vida toda destruida? Tendo vergonha de falar da volta de JESUS? A me polpe…
 E  a voces que gostaram do testemunho, e tem sido ajudados,  minhas  sinceras  desculpas :)
Mille baci

Em 22/12/2011

0 comentários:

Postar um comentário

Hey everybody 🍍

Super agradecida pelo comentário que acabou de escrever, as perguntas,
desabafos, desamores ou o que for será respondido aqui no blog...
a menos que seja o Seu Silvio Santos, aí é vip rs

con amore, Donna

maybe yellow • todos os direitos reservados © 2016 • powered by Blogger • Desenvolvimento por